Programa Arte Extrema 0061

sexta-feira, 15 de junho de 2012

HARD DESIRE – “HARD DESIRE” – 2012 – Independente (Nacional)


Até agora não entendi o porquê deste trabalho não ter me chamado atenção na primeira audição. Talvez eu não tenha me empolgado com o nome nada original da banda e isso tenha tirado um pouco da minha expectativa perante o som da mesma. Mas, como não sou do tipo que se deixa levar por esses pormenores, continuei a ouvir várias e várias vezes o trabalho e percebi o quanto estava distraído.

Oriunda de Juiz de Fora/MG, a banda Hard Desire consegue mesclar tudo que envolve Classic Rock, Hard Rock, NWOBH, Prog Metal e outros estilos similares de forma peculiar e com uma áurea de Blues Rock. Lendo aqui fica difícil imaginar o que isso pode resultar, alguns podem achar que não passa de um emaranhado de influências, mas o resultado é tão bom, que faz com que o ouvinte procure por mais e mais vezes tentar algo com que se comparar.

Influências? Claro que existem. Iron Maiden, Pretty Maids, U.F.O. , Fates Warning e até Motley Crüe são algumas que podemos citar. O problema é que elas só aparecem em algumas facetas do som da banda e não no conjunto da obra toda. As guitarras possuem bases muito bem sacadas com riffs e solos bem elaborados, o baixo é versátil, assim como a bateria variada e o ótimo vocal, que não se deixa levar ao ridículo de agudos desafinados e possui um ótimo timbre.

Não é possível acreditar que a banda que abre o álbum com New Star, um puta Power Metal é a mesma que executa Bring All The Life, um Rock Blues de tirar o chapéu, que possui até um clima meio Southern Rock. Isso tudo sem perder a característica e muito menos a essência. Algo quase impossível!

A levada de Up & Down empolga e mostra, mais uma vez, a versatilidade da banda. Fire é o momento mais emocional do disco, com arranjos e solos de tirar o fôlego, além de um dueto vocal com a cantora Natalie Mendes (que voz!) de chorar. Ouça também Hidden Truth, uma semi balada de quase onze minutos, e prove todo o talento que a banda possui (tanto que você nem irá perceber a duração da faixa), onde momentos épicos ajudam a fechar o trabalho de forma magistral.

A ressalva fica por conta das vinhetas desnecessárias, mas que passam despercebidas a partir da terceira ouvida em diante. De lambuja a capa do trabalho é belíssima e a produção muito boa, como todos os instrumentos muito bem encaixados e nítidos. É muito bom saber que no Brasil exista bandas como essa, mas também é triste saber que poucos dão valor a isso. Se for o sucesso que eles desejam (como consta no release), isso já é merecido, basta o reconhecimento. Formam a banda Dê Monteiro (vocal), Pedro Fialho e Felipe Rosa (guitarras), Thiago Fernandes (baixo/vocal) e Douglas Gomes (bateria) http://www.myspace.com/harddesire

9,0

Vitor Franceschini

Um comentário:

Vitter

VITER - official site