Programa Arte Extrema 0058

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Vídeos

Crowbar (EUA)
Quem conhece sabe que o Crowbar é um dos pilares do Sludge Metal mundial, sem falar que é um dos pioneiros no estilo. Esse clipe faz parte da promoção de seu 10º álbum de estúdio, “Symmetry in Black”, lançado este ano.
Mais informações:



Six Days Of May (Itália)
Não é só nos EUA ou Brasil que o Modern Metal tem sido a tendência da música pesada, e os italianos do Six Days of May é a prova disso. Até agora a banda lançou apenas um disco, "Lymph", de onde foi retirado esta música.
Mais informações:



Machinaria (Brasil)
O Machinaria também investe em um som mais atual, mas com uma pegada mais ‘old school’ e orgânica. Essa música faz parte do debut álbum "Sacred Revolutions/Profane Revelations", que está prestes a sair.
Mais informações:



Mork (Brasil)
Dá orgulho quando vemos um trabalho tão bem feito quanto este da banda brasiliense Mork. Esta faixa faz parte do álbum “Awake”, segundo full-lenght e que foi lançado este ano.
Mais informações:



Karuniiru (Portugal)
Não poeríamos deixar de homenagear o Halloween que é comemorado neste dia 31. Misturando Rock/Punk e Eletrônico, esses portugueses fazem um som estranho, mas que tem seguidores.
Mais informações:


Entrevista



O duo formado pelos suecos Andreas Blomqvist (guitarra/baixo) e Magnus Persson (vocal) deu início ao projeto Hyperborean em 2000 e após três demos veio o primeiro álbum, “The Spirit of Warfare” em 2011. Neste ano, a dupla lançou o segundo trabalho “Mythos of the Great Pestilence” que, além de trazer uma sonoridade mais Black Metal, conta com o baterista Fredrik Widigs do Marduk e produção de Magnus Devo Andersson, guitarrista também da lenda sueca. Conversamos com Persson sobre o novo trabalho, a parceria com os conterrâneos e até sobre a cena brasileira na entrevista a seguir.


Como foi o processo de composição do segundo trabalho “Mythos of the Great Pestilence”?
Magnus Persson: Nós trabalhamos como sempre fazemos. Andreas escreve riffs e partes de músicas que fluem juntos, então ele os envia pra mim e nós discutimos para chegar a uma idéia, para a estrutura de uma canção. Depois disso, cabe a mim escrever as letras e combinar com a música conceitualmente com o álbum. Trabalhamos com a maioria das canções por um período prolongado, experimentamos coisas diferentes até ficarmos satisfeitos com o resultado. E então Andreas registra a parte final da guitarra e baixo em seu próprio estúdio. É um processo que funciona bem para nós.  


E qual a principal diferença que a banda vê em “Mythos of the Great Pestilence” em relação a “The Spirit of Warfare”?
Magnus: A música tornou-se mais complexa e melhor pensada, eu diria. Do ponto de vista técnico, é mais avançado (e o resultado final é muito melhor) e o álbum melhor em todas as partes, eu diria. O álbum é praticamente dividido em duas partes, a primeira parte é muito agressiva e extrema, a segunda parte é talvez um pouco mais madura, com algumas influências de Heavy Metal mais puro. Mas no geral é certamente a música mais agressiva que escrevemos.
De minha parte eu mudei os vocais um pouco. Eu usei gritos campais mais altos, então o que eu faço normalmente. Fiquei satisfeito com a forma como isso ficou. Liricamente, houve um pouco de mudança, eu sempre tive a natureza do homem como o principal tema para nossas letras, mas usei olhares diferentes quando estava escrevendo as letras. Fomos longe da guerra e focamos mais no homem e como ele reage a um grande desastre, como a Peste Negra, etc. O grande perigo que tende a acabar com as camadas civilizados, por assim dizer.


A sonoridade da banda tem o foco no Black Metal e inclui muita melodia, porém a banda não se utiliza de muitos teclados e deixa os arranjos para as guitarras. Isso foi uma opção ou fluiu naturalmente?
Magnus: Bem, nós sempre usamos teclados no passado e, desde o início do processo de escrita planejávamos usá-los desta vez também. Mas, quando nós escrevemos as músicas senti que a maioria delas realmente não precisavam de teclados. Eles realmente não se encaixam nas músicas mais rápidas e, além disso, Andreas estava escrevendo tantos riffs de guitarra complexos, com múltiplas harmonias em todo o lugar, que nós pensamos que a adição de teclados iria apenas carregar as músicas. Então, no final apenas algumas canções têm algumas partes de teclado e, nesse ponto, decidimos ir em frente e fazer o álbum inteiro sem eles. Então, nesse sentido, sim, foi uma decisão que surgiu naturalmente. E em retrospectiva eu ​​não acho que nenhuma das músicas realmente precisava deles. Dito isto, não significa que nunca iremos usá-los novamente. Vamos ver o que acontece no futuro.




Um dos fatores que faz a música da banda pender para o Black Metal é a timbragem ríspida e aguda dos instrumentos, típicas do estilo. Vocês concordam? Isso também foi proposital?
Magnus: Bem “Mythos...” certamente é mais cru do que “The Spirit of Warfare”, isso é certo. Eu gosto deste direcionamento e estou feliz com ele. E se você quer chamar a nossa música de Black Metal, essa é uma parte do nosso som. A parte misantrópica é obrigatória para esse estilo. E esta é a nossa sonoridade metálica, o lançamento mais Black Metal que nós escrevemos.


Voltando ao trabalho de guitarras, ele é fundamental nas composições e um dos destaques individuais. Você concorda?
Magnus: Sim, concordo. “Mythos...” é conduzido por riffs de guitarra. As guitarras são a parte mais importante do álbum, eu diria. E Andreas, que é o compositor das músicas é, em primeiro lugar, um guitarrista.


Aliás, a técnica é um dos pontos fortes da banda.
Magnus: Eu concordo. Andreas é um bom guitarrista. Ele pratica seu instrumento intensamente e deu tudo o que pôde ao escrever e gravar este álbum. E depois, claro, temos a sorte de ter como baterista de estúdio Fredrik (Widigs, Marduk), sendo que ele é muito bom e muito técnico também. Mas vou dizer que, para mim, não importa o quanto a técnica ou a performance sejam impressionantes, a parte mais importante do álbum (ou qualquer álbum) está em ter músicas bem escritas. E isso é independente da impressionante capacidade técnica.


A banda não possui um baterista fixo e Fredrik Widigs (Marduk) foi quem gravou as partes de bateria. Como foi trabalhar com Widigs e como chegaram até ele?
Magnus: É muito bom trabalhar com Fredrik. Ele é muito profissional e um bom baterista. Ele fez a bateria para o nosso primeiro álbum bem e nunca houve qualquer dúvida de nós o termos em “Mythos...”. Fomos apresentados a ele através do baterista do Craft (banda de Black Metal sueca) que eu conhecia. E eu tinha discutido a possibilidade de ele gravar a bateria para nós no “The Spirit of Warfare”. Mas ele acabou recomendando Fredrik, de modo que isso aconteceu. Isto foi, naturalmente, muitos anos antes de ele se juntar ao Marduk, mas estamos muito felizes de ver como as coisas estão indo bem para ele.

Aliás, o álbum também foi produzido por um membro do Marduk, no caso Magnus Devo Andersson. Por que escolheram ele e como foi o trabalho com Devo?
Magnus: Foi Fredrik que o sugeriu e eu gostei da ideia. Eu gosto de como os álbuns do Marduk soam e foram gravadas no Endarker Studio, que está localizado em uma cidade que fica perto de onde eu moro, de modo que tornou as coisas mais fáceis a partir de um ponto de vista logístico. Foi ótimo trabalhar com Devo. Ele tirou a música e o som que queríamos. Depois de imediato eu não tenho absolutamente nada além de coisas positivas a dizer sobre ele e seu estúdio, e eu recomendaria a qualquer banda para gravar lá.


Como tem sido a repercussão do novo álbum até então? Vocês tem obtido algum retorno do Brasil?
Magnus: Isto é difícil de dizer. Os comentários que têm chegado têm sido muito positivos. Mas, ao mesmo tempo, é difícil de saber, pois nós não temos um selo nos apoiando. Por isso, não posso realmente ter qualquer cobertura na imprensa "mainstream" Metal, o que faz com que seja difícil de obter a palavra de fora. Mas as pessoas que ouviram pareceram gostar, de modo que é bom. E agradecemos todo o apoio que recebemos.


Falando em Brasil, conhecem a cena Metal daqui? Pretendem tocar aqui algum dia?
Magnus: Eu não conheço muito sobre a cena do Metal brasileiro, que não seja que há um monte de pessoas que são fãs de música mais pesada aí. Mas eu gostaria de tocar no Brasil, pelo menos um dia, isso seria ótimo. Eu treino Jiu Jitsu na cidade onde eu moro e um amigo meu queria que eu fosse com ele para o Brasil para treinar no verão passado. Não pude ir, mas no futuro poderei, então talvez nós poderíamos sincronizar e fazer alguns shows também.


Quais os planos? Shows agendados?
Magnus: Bem, nós apenas estamos promovendo o álbum desde que foi lançado. No momento, não podemos fazer shows ao vivo, até porque há apenas dois de nós na banda. Mas talvez isso mude no futuro. Mas agora é hora de começar a trabalhar em um novo material de modo que é o que vamos fazer a seguir.

Muito obrigado. Podem deixar uma mensagem aos fãs do Brasil.
Magnus: Obrigado pelo apoio ao Hyperborean e a divulgação do nosso CD. Nós agradecemos muito por isso e gostaríamos de dizer obrigado aos nossos fãs brasileiros! Esperamos vê-los no futuro. E obrigado pela entrevista!



No Remorse – “Killing Ground” – EP – 2014 – Independente (Nacional)

Após o bom “DemoHATE” lançado no ano passado, a banda carioca No Remorse, formada por Igor Rodrigues (vocal/guitarra), Pedro Nazareth (baixo) e Erick Mamede (bateria) retorna com mais um trabalho no mesmo formato.

“Killing Ground” possui apensa duas composições, mas que são suficientes para analisar a banda e perceber uma evolução natural, tanto individualmente quanto na banda como um todo. A banda que é influenciada diretamente por Metallica, mostra uma identidade mais próxima de si neste trabalho.

Há ainda resquícios da banda californiana, principalmente nas bases de guitarra, mas é algo natural e que não dá pra se desvencilhar assim de uma hora pra outra. O No Remorse também se mostra mais objetivo nas duas músicas e segue um lado mais cru, que fez muito bem ao trio, por sinal.

As duas composições são excelentes, mas a faixa título se destaca mais por ser mais técnica e por possuir mais variação, além de um riff muito bacana e solo bem encaixado. Trap House é um ‘thrashão’ rápido e agressivo de um minuto e meio, perfeito para ‘pogar’. O No Remorse já pode lançar um álbum completo.


8,0

Vitor Franceschini


Arte News

BANDANOS: Disco “Nobody Brings My Coffin Until I Die” recomendado pelo programa Arte Extrema
E os mestres do Crossover nacional o BANDANOS, tiveram seu novo disco o aclamado “Nobody Brings My Coffin Until I Die” recomendado no programa web Arte Extrema.

Confira a seguir o que os apresentadores do programa falaram sobre “Nobody Brings My Coffin Until I Die”:

No dia 14/10 o BANDANOS tocou ao lado de uma de suas principais influencias os americanos do Excel, uma honra e satisfação pessoal para banda. E a Sick. TV registrou parte desta apresentação histórica dos paulistas no Clash Club, confira agora mesmo:https://www.youtube.com/watch?v=MQ52Xg1A0QU

Links Relacionados:

Twitter: @bandanos_crossover


HICSOS: “Needles” disponível para audição no Youtube
HICSOS usa a tecnologia ao seu favor, mas de uma forma bem controlada, pois acredita na magia do disco físico e nos fãs que gostam de ter o encarte em mãos e acompanhar a obra como um todo, por esses motivos o HICSOS não libera seus discos para download.

Mas nessa forma controlada e lúcida a banda acaba de liberar em seu canal oficial no Youtube a faixa “Needles” que pertence ao último disco “Circle of Violence”, no intuito de disseminar ainda mais seu som, e despertando a curiosidade dos thrashers pelo material completo.

Então não perca tempo e ouça agora mesmo: https://www.youtube.com/watch?v=_LsJq9YXLMI&feature=youtu.be&hd=1

Aproveite e curta a página oficial do HICSOS no Facebook, pois em breve uma super promoção estará pintando:https://www.facebook.com/officialhicsos

Links Relacionados:



SINNERATOR: Capa de debut feita por artista conceituado
E os filhos de “Lemmy” continuam as gravações de seu disco de estréia, e ao meio de todo o processo acabam de fechar com um dos artistas mais conceituados do Brasil, Carlos Fides que já fez artes para bandas do calibre de Sacrario, Semblant, Sacrificied, Evergrey, Shaman, Oficina G3 e etc...

Com isto o SINNERATOR apresentará uma arte de impacto, assim como seu som que está sendo moldado e gravado milimetricamente para surpreender de forma mais do que positiva os headbangers.

Aproveite e conheça mais o trabalho do artista em: http://migre.me/mAcDK

Links Relacionados:



REVOGAR: Parceria fechada com Heavy And Hell Press
E um dos maiores nomes do Black/Death Metal acaba de fechar com a Heavy And Hell Press, estamos falando da banda gaúchaREVOGAR, que chega para somar forças ao cast consolidado da assessoria.

Atualmente o REVOGAR prepara muitas novidades para 2015 e seguem firme em suas novas composições, que pretendem abalar as estruturas metálicas da cena.

Fique ligado conosco e acompanhe tudo sobre a banda, enquanto isso assista agora mesmo o vídeo para “Profetas Amaldiçoados” e perca o pescoço: https://www.youtube.com/watch?v=9wwdsLEknHY

Links Relacionados:



GODZORDER: Mixagem de EP em fase final
E o cometa GODZORDER está finalizando a mixagem de seu vindouro EP, que ainda não tem uma data prevista de lançamento, mas já se encontra finalizado e agora aguarda os retoques finais do mago Adair Daufembach.

Mas o que a banda adianta é que o trabalho esta ficando no ponto que queriam e que irá surpreender a todos, tanto em produção como em composições, onde de fato farão jus ao apelido de cometa metálico.

Agora é aguardar e ver o que a revelação do Thrash paulista vai nos apresentar.

Links Relacionados:

Twitter: @Godzorderthrash


ANIMAL HOUSE: Tracklist e mês de lançamento de “Limbo” definidos
Com o disco finalizado o ANIMAL HOUSE adianta o lançamento de “Limbo”, o que antes seria para o final de dezembro, agora passou para novembro, sem um dia especifico, mas não passando desse mês.

A banda também liberou o back cover de “Limbo” que já conta com o tracklist oficial do lançamento, que conta com quatro faixas (sendo uma delas bônus), onde apresentam um Modern Metal de encher os ouvidos, com muita competência e originalidade.

Então não perca tempo e garanta já o seu, pois em breve estará disponível em cópias limitadas:https://www.facebook.com/ahouseofficial

Lins Relacionados:

Twitter: @animal_house1


RIGOR MORTIS: EP com previsão de lançamento anunciada
E a máquina da morte RIGOR MORTIS anuncia que seu EP de estréia saíra final de janeiro, com um total de sete faixas, e dois atos aterrorizantes um que dá inicio a destruição e outro que fecha os portais do inferno.

O guitarrista Rigor comenta a decisão de o EP ter sete faixas:

Quando se compõe muitas idéias surgem, e quando se está inspirado isso flui ainda mais, sendo assim, decidi por um EP com sete faixas e dois atos, pois se continuasse compondo teria um álbum completo, mas esse não é o momento ideal. Quero que os bangers tenham uma noção de nossa sonoridade atual, para daí em diante poder pensar num debut.

Assim segue o RIGOR MORTIS com os pés no chão e focado em seus trabalhos, mantendo muita singularidade e perspectiva de um futuro brilhante, aguarde!

Links Relacionados:



UT OPIA: Música gravada no “CCAA Fest” disponível
Um dos maiores e mais importantes festivais de Belém/PA, esse é o “CCAA Fest”, que o UT OPIA participou no ano de 2013. Onde foi uma das bandas finalistas e teve seu show transmitido pela TV Cultura Pará para todo o estado de Belém e para o restante do Brasil via stream do Portal Cultura.

E para conferir como foi a apresentação do UT OPIA o festival liberou o vídeo da música “Epidemia”, onde você confere agora mesmo: https://www.youtube.com/watch?v=K3t16xW3TGE

Este foi um dos últimos shows com o vocalista/guitarrista Luã. Em breve os J-Rockers trarão novidades sobre sua nova formação.

Links Relacionados:

Twitter: @UtOpiarockbr


MASTERMIND: Nossa principal influencia é a Bay Area
E a cena californiana do Thrash Metal sempre será uma influencia latente para as bandas mais novas, e até mesmo para os da velha guarda que não pertenciam a chamada Bay Area.

Essa influencia não seria diferente para os paraguaios do MASTERMIND que esbanjam vitalidade em seu som calcado nessa influencia, como explica o baixista/vocalista Cesar Dario:

O que mais influi na banda é a paixão pela Bay Area, nós tentamos levar o espírito underground ao máximo, sendo assim as bandas desse movimento são as que mais nos influenciam. Mas também adoramos o Heavy Metal Tradicional e o Judas Priest é uma das que mais gostamos, assim como Motorhead, Annihilator, Venom, Violator, Iron Maiden e tantas outras que ajudaram a moldar nosso som.

Não perca tempo e ouça agora mesmo o disco de estréia desses paraguaios que com certeza são uma das grandes promessas do cenário Thrash Metal: https://www.youtube.com/watch?v=PHSiuvwCdFU

Links Relacionados:



SANGRENA: Show reúne grandes nomes do interior paulista em Piracicaba/SP
A banda Sangrena segue com sua aclamada turnê “Black Spirit Tour” e leva seu Death Metal afiadíssimo, juntamente com as bandas Desdominus, Chaos Synopsis, Slasher e Madness para a cidade de Piracicaba/SP. Os ingressos antecipados físicos já estão à venda nas cidades de Piracicaba, Limeira, Americana e Campinas, pelo valor de R$15,00. O evento será realizado no dia 23 de novembro (domingo), no Captain Jack, com início as 14h00.
O SANGRENA é uma banda de Death Metal formada em 1998 na cidade de Amparo interior de São Paulo. Tem como base as raízes do estilo, mas também circula pelo rápido e brutal Death Metal típico brasileiro. Depois de várias Demos e Eps, o Sangrena lançou seu debut-álbum "Blessed Black Spirit" no exterior através de uma parceria entre a gravadora européia Darzamadicus Records e a americana Sevared Records. Recentemente esse disco saiu no Brasil de forma independente, recebendo excelentes críticas pelas mídias especializadas de metal extremo do Brasil e exterior.
Produtores interessados em contratar o show da banda SANGRENA devem entrar em contato através do email:franciscojunior@sangrena.com
Datas da "Black Spirit Tour" confirmadas:
(2014)
02/05 – Limeira/SP (Bar da Montanha)
10/05 – Guarulhos/SP (Guaru Extreme Fest)
07/06 – Itapira/SP (Vip Bar)
03/08 - Amparo/SP (Dance Total)
07/08 - São Paulo/SP (Espaço Som)
10/08 - Jundiaí/SP (Aldeia Bar)
23/08 - Poços de Caldas/MG (Califórnia Bar)
06/09 - Osasco/SP (Mineiro Rock Bar)
12/09 - Indaiatuba/SP (Plebe Bar)
21/09 - Mogi Guaçu/SP (Garagem Roseira)
27/09 - Rio de Janeiro/RJ (Planet Music)
23/11 - Piracicaba/SP (Captain Jack)
28/11 - Jandira/SP (Caveira Velha Rock Bar)
20/12 - São Paulo/SP (Blackmore Rock Bar)
(2015)
10/01 - Maricá/RJ (Complexo Esportivo Leonel Brizola)
11/01 - Rio de Janeiro/RJ (Planet Music)
17/01 - Indaiatuba/SP (Plebe Rock Bar)
31/01 - Belo Horizonte/MG (Azuzin Rock Bar)
14/03 - Socorro/SP (Villa Gourmet)
26/04 - São Paulo/SP (Clash Club)
SERVIÇO
Bandas:
Sangrena (Death Metal - Amparo/SP)
Chaos Synopsis (Death/Thrash Metal - São José dos Campos/SP)
Desdominus (Death Metal - Americana/SP)
Slasher (Thrash Metal - Itapira/SP)
Madness (Death Metal - Piracicaba/SP)
Dia: 23/11/2014 (Domingo)
Horário: 14h00
Local: Captain Jack - Av. Independência, 1630 - Piracicaba/SP
Ingressos:
Antecipado R$15,00
Portaria R$25,00
Pontos de vendas:
Piracicaba: Fractal Music Wear (19) 3301-0176
Americana: Heavy Metal Rock (19) 3461-8664
Limeira: Sintonia Loja Rock (19) 3451-9120
Campinas: Metal Mania (19) 3203-3835
Vendas Online: 
franciscojunior@sangrena.com

Evento Facebook:  
https://www.facebook.com/events/897350870295091
Apoio: Loja do Metal, Heavy Metal Rock, Sintonia Loja Rock, Fractal Music Wear, Metal Mania


EXORCISM: banda solta vídeo com baterista
A banda Exorcism disponibilizou um vídeo da música Higher onde mostra uma performance de seu mais novo baterista Alexis Von Kraven (MOXY). A música foi retirada de seu álbum “I Am God” lançado neste ano. Para conferir acesse o link:


O clipe foi dirigido por Beto Garcia, engenheiro de bateria – Emilio Garcia (Digisound Mexico), Studio – Yazid Raffoul (Digisound Studio), editado por RockNGrowl e FireSphyra Entertainment Marketing.

A banda encontra-se trabalho duro em seu segundo álbum que deve ser lançado em 2015.

Mais informações:


SARPEDON anuncia data de lançamento de seu novo álbum
A banda norueguesa Sarpedon anunciou que seu novo álbum será lançado no dia 5 de dezembro. “Anomic Nation” sairá via Inverse Records e a banda já disponibilizou uma faixa do trabalho, é só conferir no link abaixo:


Mais informações:


INHERITANCE: banda prepara novo videoclipe
A banda paulista de power prog metal Inheritance, acaba de gravar o seu novo videoclipe. O vídeo é da música Essence que está no cd de lançamento “Being Better Alone”. A banda gravou o videoclipe em São Paulo, e junto com ele foi feito também sessões de fotos. O vídeo está em pós-produção e logo mais estará no ar!



Obs.: As notas publicadas nesta seção são de responsabilidade das assessorias das bandas/artistas.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Noumena – “Death Walks With Me” – 2013 - Haunted Zoo Productions (Importado)

É a primeira vez que me deparo com um trabalho destes finlandeses que estão ativa desde 1998. “Death Walks With Me” é o quarto trabalho de estúdio, sendo que a banda possui seis Demos e um EP. A banda também já teve uma música incluída na trilha sonora da série finlandesa de TV "Äijät".

Interessante a sonoridade da banda, já que se utilizam da velha fórmula que alterna vocal gutural com vocal feminino, mas se engana quem pensa que o Noumena trilha os caminhos do Gothic Metal. O instrumental e 90% da seção rítmica das músicas seguem uma linha Melodic Death Metal.

Lógico que há momentos Gothic/Doom Metal, como na longa e obscura Season of Suffocation. Mas as músicas mais velozes e com riffs mais dinâmicos é o foco principal com destaque para Handful of Dust, a faixa título e Leit It Run Red. A temática já parte pro lado mais sombrio com letras que abordam escuridão e tristeza.

Longe de ser ruim, a produção tirou farpas do brilho do trabalho já que soa suja demais para o estilo. A gravação, mixagem e masterização foram feitas no D-Studio. Sem reinventar nada o Noumena faz no mínimo um som interessante e de muito bom gosto.


8,0

Vitor Franceschini


Endemise – “Far from the Light” – 2013 – Maple Metal Records (Importado)

Muito interessante o som praticado por este agora quarteto canadense (o guitarrista Phill Campbell saiu da banda após as gravações). A banda lançou este segundo disco no ano passado e está na ativa há quase 10 anos.

Com um trabalho de guitarras agressivo, um som melodioso na medida certa, cozinha com uma pegada certeira e mistura de vocais rasgados com backings guturais, a banda destila algo que fica entre o Melodic Death Metal e o Symphonic Black Metal, já que os arranjos sinfônicos se fazem presentes em todo álbum.

Algumas quebras de ritmos soam muito interessantes, sendo que algumas geram passagem de pianos e possuem momentos um tanto quanto melancólicos. Destaque para as faixas Far from the Light, Lament Eternal, Echoes e Of Death and Forgotten Lore, pois resumem bem a proposta da banda.

A produção sonora de “Far from the Light”, assim como a arte da capa merecem menção, já que ambos os trabalhos ficaram bem feitos. Fãs de nomes como Dimmu Borgir, Dissection irão se deleitar com a música do Endemise que ainda possui suas próprias características.


8,0

Vitor Franceschini


Vitter

VITER - official site